Bill Gates recomenda os 5 livros de 2016

Na lista, co-fundador da Microsoft explica por que cada obra é especial. Entre os títulos, David Foster Wallace e Archie Brown

Bill Gates, o homem mais rico do mundo segundo a Forbes, mantém em 2016 a tradição de compartilhar sua lista anual de livros favoritos, que inclui desde ensaios sobre jogos de tênis a argumentos para líderes políticos. O co-fundador da Microsoft ainda tece breves críticas sobre as obras em seu blog, o Gate’s Notes. “Todos eles me levaram a um grande portal para inesperados insights e prazeres”, resume.

Abaixo, confira a lista dos cinco livros que mais chamaram a atenção de Gates neste ano.

1.   String Theory, David Foster Wallace
Gates brinca que a última coleção de ensaios do autor americano fará você “parecer super inteligente” em um trem ou avião, já que fará parecer que você está lendo sobre física (a teoria da corda, no caso) mesmo quando está lendo sobre tênis.

“Mesmo que eu tenha amado o livro pelas suas observações no jogo, eu o amei da mesma forma pela sua escrita. Agora eu entendo porque as pessoas falam tanto sobre David Foster Wallace, com o mesmo tipo de admiração que fãs de tênis falam sobre Roger Federer ou Serena Williams. O empresário ainda diz que se encontra um tanto viciado no autor, apesar de admitir não ter conseguido terminar a obra máxima de Wallace, a Graça Infinita.

O livro “String Theory” ainda não conta com sua versão em português, porém é possível comprá-lo em lojas online no idioma original por cerca de R$ 70.

2.   A Marca da Vitória. A Autobiografia do Criador da Nike, Phil Knight
Phil Knight, fundador da Nike, é um lembrete honesto de como erros são necessários para obter sucesso nos negócios, avalia Gates ao dizer sobre como Knight se expõe em sua autobiografia.

Gates lembra que teve a oportunidade de se encontrar com Knight em algumas ocasiões e lembra que ele era muito educado, mas também quieto e introvertido. Porém, em “A Marca da Vitória”, observa Gates, ele se abre de uma forma que poucos CEOs estão dispostos a fazer. “Eu não penso que Knight queira ensinar algo ao leitor. Ao invés disso, ele consegue algo melhor. Ele conta sua história da forma mais honesta que consegue. É uma história fabulosa”.

3.   O gene: uma história íntima, Siddhartha Mukherjee
Vencedor do Prêmio Pulitzer de 2011, o oncologista e escritor Siddhartha Mukherjee lançou neste ano o livro “O gene”. Na obra, Mukherjee fala sobre como fatores genéticos impactam desde a personalidade de uma pessoa aos caminhos que ela escolhe traçar.

Gates destaca que o autor escreve para um leitor leigo no assunto e observa que médicos são uma “tripla ameaça” quando precisam cuidar de pacientes, ensinar estudantes de medicina e ainda conduzir pesquisa. No caso de Mukherjee, ele faz todas essas coisas na Columbia University e ainda é uma quarta ameaça, já que se trata de um autor premiado. “Em seu último livro, Mukherjee nos guia através do passado, presente e futuro da ciência do genoma, com um foco especial nas grandes questões éticas que as últimas e grandes tecnologias genômicas provocam”.

4.   The Myth of the Strong Leader, Archie Brown
O renomado cientista político Archie Brown desafia a ideia de que figuras fortes, com boas habilidades de discurso, se tornam bons líderes. Na visão dele, líderes são pessoas colaborativas, que delegam e negociam e que reconhecem que nenhuma pessoa tem ou poderia ter todas as respostas.

Gates observa que o livro publicado em 2014 não poderia ter se tornado tão ressonante em 2016, ano em que os Estados Unidos elegeu seu novo presidente.

“Considerando que a maioria dos livros sobre liderança política são cronologias, que mapeiam a ascensão e queda dos líderes ao longo do tempo, este é mais do que uma taxonomia. Brown analisa profundamente os traços e tendências que os líderes exibem e as categorias em que se inserem, como forma de compreender os egos, as motivações e os comportamentos responsáveis por tantos progressos e tantos sofrimentos no mundo. Ao longo do livro, ele apresenta uma nova maneira de pensar sobre os desafios de hoje – e as pessoas que confiam em resolvê-los”, avalia Gates.

A obra ainda não conta com tradução para o português. A versão para Kindle – em inglês – sai por R$ 37,15.

5.   The Grid, de Gretchen Bakke
Para Gates, o livro “A Rede” (em tradução livre) da antropologista Gretchen Bakke, se enquadra em um dos seus gêneros favoritos da literatura, no caso “livros sobre coisas mundanas que são realmente interessantes”. E ele resume por que: “Mesmo que você nunca tenha pensado sobre como a eletricidade atinge seus pontos de venda, eu penso que esse livro o convenceria que a rede elétrica é uma das melhores engenharias do mundo moderno. Eu penso que você também veria como modernizar a rede é tão complexo e crítico para construir nossa energia limpa do futuro”.

O livro ainda não foi traduzido no Brasil. Sua versão original pode ser comprada em lojas online por cerca de 20 dólares.

Deixe uma resposta