Projeto Web Segura

Bullying Escolar professor-aluno

By 13 de junho de 2011 2 Comments

O assédio escolar também pode ser praticado de um professor para um aluno. As técnicas mais comuns são:

  • Intimidar o aluno em voz alta rebaixando-o perante a classe e ofendendo sua auto-estima;
  • Uma forma mais cruel e severa é manipular a classe contra um único aluno o expondo a humilhação;
  • Assumir um critério mais rigoroso na correção de provas com o aluno e não com os demais;
  • Alguns professores podem perseguir alunos com notas baixas;
  • Ameaçar o aluno de reprovação;
  • Negar ao aluno o direito de ir ao banheiro ou beber água, expondo-o a tortura psicológica;
  • Difamar o aluno no conselho de professores, aos coordenadores e acusá-lo de atos que não cometeu;
  • Tortura física, mais comuns em crianças pequenas. Puxões de orelha, tapas e cascudos.

Tais atos violam o Estatuto da Criança e do Adolescente e podem ser denunciados em um Boletim de Ocorrência numa delegacia ou no Ministério Público. A revisão de provas pode ser requerida ao pedagogo ou coordenador e, em caso de recusa, por medida judicial.

Assédio em Escolas
Em escolas, o assédio escolar geralmente ocorre em áreas com supervisão adulta mínima ou inexistente. Ele pode acontecer em praticamente qualquer parte, dentro ou fora do prédio da escola. Alguns sinais são comuns como a recusa da criança de ir à escola ao alegar sintomas como dor de barriga ou apresentar irritação, nervosismo ou tristeza anormais.

Um caso extremo de assédio escolar no pátio da escola foi o de um aluno do oitavo ano chamado Curtis Taylor, numa escola secundária em Iowa, Estados Unidos, que foi vítima de assédio escolar contínuo por três anos, o que incluía alcunhas jocosas, ser espancado num vestiário, ter a camisa suja com leite achocolatado e os pertences vandalizados. Tudo isso acabou por levá-lo ao suicídio em 21 de Março de 1993. Alguns especialistas em “bullies” denominaram essa reação extrema de “bullycídio”. Os que sofrem o bullying acabam desenvolvendo problemas psíquicos muitas vezes irreversíveis, que podem até levar a atitudes extremas como a que ocorreu com Jeremy Wade Delle. Jeremy se matou em 8 de janeiro de 1991, aos 15 anos de idade, numa escola na cidade de Dallas, Texas, EUA, dentro da sala de aula e em frente de 30 colegas e da professora de inglês, como forma de protesto pelos atos de perseguição que sofria constantemente. Esta história inspirou uma música (Jeremy) interpretada por Eddie Vedder, vocalista da banda estadunidense Pearl Jam.

Na última década de 90, os Estados Unidos viveram uma epidemia de tiroteios em escolas (dos quais o mais notório foi o massacre de Columbine). Muitas das crianças por trás destes tiroteios afirmavam serem vítimas de bullies e que somente haviam recorrido à violência depois que a administração da escola havia falhado repetidamente em intervir. Em muitos destes casos, as vítimas dos atiradores processaram tanto as famílias dos atiradores quanto as escolas.

Como resultado destas tendências, escolas em muitos países passaram a desencorajar fortemente a prática do assédio escolar, com programas projetados para promover a cooperação entre os estudantes, bem como o treinamento de alunos como moderadores para intervir na resolução de disputas, configurando uma forma de suporte por parte dos pares. O assédio escolar nas escolas pode também assumir, por exemplo, a forma de avaliações abaixo da média, não retorno das tarefas escolares, segregação de estudantes competentes por professores incompetentes ou não atuantes, para proteger a reputação de uma instituição de ensino. Isto é feito para que seus programas e códigos internos de conduta nunca sejam questionados, e que os pais (que geralmente pagam as taxas) sejam levados a acreditar que seus filhos são incapazes de lidar com o curso. Tipicamente, estas atitudes servem para criar a política não escrita de “se você é estúpido, não merece ter respostas; se você não é bom, nós não te queremos aqui”. Frequentemente, tais instituições (geralmente em países asiáticos) operam um programa de franquia com instituições estrangeiras (quase sempre ocidentais), com uma cláusula de que os parceiros estrangeiros não opinam quanto à avaliação local ou códigos de conduta do pessoal no local contratante. Isto serve para criar uma classe de tolos educados, pessoas com títulos acadêmicos que não aprenderam a adaptar-se a situações e a criar soluções fazendo as perguntas certas e resolvendo problemas.

Compilado: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bullying

Pergunte, Comente, Participe.

Projeto Web Segura

Join the discussion 2 Comments

  • O BULLYING E COMO UM MONSTRO NA VIDA DE MUITA GENTE AS PRINCIPAIS VITIMAS DO BULLYING SÃO OS MAIS GORDINHOS,MAGRINHOS,OS NEGROS OS BRANQUINHOS E OS MAIS INTELIGENTES.
    EU SOU GORDINHA NÃO GOSTO QUE ME CHAMEM DE BALEIA,GORDUCHA,ELEFANTA E ETC. MAIS EU DEVO MANTER O RESPEITO SOBRE MIM MESMA DEVO ME RESPEITAR E RESPEITAR AO PRÓXIMO. OBRIGADA.

    LETICIA EDUARDA 11 ANOS BRASIL

  • laura disse:

    atenção , se vc estuda no virgem poderosa onde estudei e sai de lá ano passado se vc é do sexto ano este ano preste atenção eu sou a laura a que vcs sempre me xingavam e as vezez riam de e que uma vez vc tossato colou adesivo nas minhas costas bullyng não é legal todo dia quando eu chegava da escola eu chorava as pessoas tem sentimento as pessoas são do jeito que são e nada vai mudar a vitoria eu só tentava me vingar de vc pq vc só me tratava mal

Deixe uma resposta