Huawei e Instituto Cooperforte anunciam cursos gratuitos

A Huawei, empresa global de soluções de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), fecha parceria com o Instituto Cooperforte, organização focada em responsabilidade social e inserção de jovens no mercado de trabalho. O objetivo é financiar cursos gratuitos de capacitação na área de tecnologia para jovens de comunidades carentes do Amazonas e Ceará.

O primeiro projeto, na Amazônia, terá como base um curso ministrado em duas diferentes comunidades. “Energia Solar Para Inclusão Solar” será realizado em Tefé (AM) pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM), que cuida de programas de pesquisa, manejo e assessoria técnica sustentável da região e suas reservas.

O programa educacional visa, além de ensinar questões relacionadas à cidadania e ensino básico de computação, desenvolver 30 jovens de 15 a 24 anos na área de TIC e capacitá-los para o mercado. Entre as disciplinas, estão TI básica, energia solar, instalação e manutenção de sistema e manutenção de computadores.

A segunda região a receber o curso será a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (RDSA-AM), levando em consideração as necessidades locais e limitações de tecnologia. Com a oportunidade de integrar o ensino dessa área com o desenvolvimento sustentável, o curso foi adaptado para a população local, composta principalmente por habitantes de comunidades ribeirinhas.

“Capacitar jovens numa das maiores reservas da Amazônia, sem rede de energia elétrica e sem cobertura de telecomunicações, é certamente um desafio para a Huawei e parceiros. Como instrumento para viabilizar a capacitação, a Huawei instalará um ponto de internet na comunidade onde o projeto será executado”, diz Liu Wei, vice-presidente de Relações Públicas da Huawei.

O segundo projeto, realizado no município de Horizonte (CE), será organizado pela Associação Beneficente Luzia Lopes Gadelha (ABLLG). “Teclando com a Juventude” capacitará 60 jovens entre 17 e 29 anos em situação de vulnerabilidade social por meio da educação no segmento de TIC.

O curso será divido em três partes: noções de cidadania, combate às drogas e qualificação profissional, incluindo instalação de software e hardware, sistemas de computação, redes, internet, segurança e banco de dados. Ao final do projeto, que tem duração de um ano, todos os jovens serão encaminhados para oportunidades de emprego.

Deixe uma resposta