TI não tem opção. Tem que mudar!

Em todas as mesas que se unem profissionais de tecnologia, a discussão sobre a transformação digital sempre é um dos principais temas em pauta. Seja conversas entre analista mais antenados ou CIO´s que buscam estar por dentro dos assuntos mais abordados da atualidade. No Gartner Symposium ITXPO 2016, não foi diferente. O tema apareceu em destaque em várias apresentações.

Está cada vez mais claro que a transformação digital não é mais um conceito abstrato, mas o que impacta sua aplicação pelos principais líderes de tecnologia é justamente a falta de conhecimento sobre o tema. O desafio é pensar fora da área de conforto e consequentemente sobre o que tranquilamente está sobre seu controle.

O que os lideres ainda não percebem, ou resistem em perceber, é que hoje a tecnologia e totalmente diferente do que era a 10 anos atrás. Lembre-se como era o Skype, os táxis, as livrarias, a TV por assinatura. Traga para a atualidade e insera ingredientes como o WhatsApp, Uber, Amazon, o Netflix e me diga quais os impactos provocados por empresas que pensam diferente.

O ritmo da evolução tecnológica mexe com todos as previsões, e não podemos somente pensar no que hoje temos como serviços e produtos estáveis. Veja na área da Saúde, veja as previsões sobre o Big Data, IoT, veja o caso da Theranos (vamos escrever um artigo em breve), a velocidade da evolução hoje é outra e precisamos pensar nisto agora.

A Cisco alterou seu processo de inovação baseado na dinâmica das startups. Lançamentos de produtos que demoravam de oito a seis meses, hoje são lançados em duas semanas. Google avança em várias frentes, entre elas a área de saúde digital, e o que isso pode significar daqui a 6 meses ou a um ano? Sua empresa está pronta para a transformação digital?

Você como líder de TI precisa provocar a discussão sobre a transformação digital nas organizações que participa. Deve procurar indicadores em sua volta e ver o que seus pares ou empresas líderes de mercado estão fazendo, como norteador de suas ações, ou se possível participe de feiras onde startups estarão envolvidas, pois grandes indicadores do futuro podem ser percebidos nestes eventos.

Outro desafio que precisa ser encarado de frente, é a necessidade de ter que se matar projetos longos que trazem pouco diferencial ao negócio. Precisa colocar em pauta como fazer diferente e digital para avançar de forma ágil e inovadora.

Acha que assuntos como Indústria 4.0, TI Bimodal, Lean TI, estão crescendo por puro modismo?

Esta quebra de paradigmas provoca questionamentos que instigam os negócios. À medida que as pessoas, carros, edifícios, trânsitos e eletroeletrônicos se tornarem mais e mais conectados, as empresas vão descobrir que já estarão em um negócio que não foram criadas para estar. As próprias instituições não são as mesmas de 50 anos atrás, e não serão as mesmas em 10 anos, por mais centenário que sua instituição posso ser, veja como exemplo a história da GE.

Em Belo Horizonte, estamos iniciando um grupo para discutir Digital Health e tentar prever e evangelizar como será o impacto da transformação digital na área de saúde por necessidade de se antecipar nos meios que estamos inseridos. E você como líder? O que está fazendo para se adequar ao novo em sua organização?

Deixe uma resposta