As candidaturas para a próxima edição da Summer School for Female Leadership in the Digital Age estão abertas até 31 de maio de 2022 e há um lugar para uma estudante portuguesa.

Depois de Portugal ter acolhido a primeira edição da Summer School for Female Leadership in the Digital Age, que contou com mais de 1.200 candidaturas, a Huawei decidiu reproduzir esta iniciativa noutras geografias europeias. Este verão é a vez de Praga, na República Checa. Entre 17 e 22 de julho, 27 jovens estudantes do sexo feminino provenientes de todos os Estados-membro da União Europeia, a que se juntam estudantes da Ucrânia e da região das Balcãs, vão poder participar no programa. As candidaturas estão abertas e há lugar para uma estudante portuguesa.

A grande satisfação que é perceber o alcance europeu desta iniciativa, desenvolvida com a equipa portuguesa e testada com inquestionável sucesso no nosso país. Esta é mais uma prova da capacidade do nosso país para testar conceitos”, afirma Diogo Madeira da Silva, diretor da Huawei Portugal.

As sementes para o futuro da digitalização estão a ser plantadas, com uma aposta efetiva por parte da empresa nos líderes do amanhã e num maior equilíbrio de género das TIC”, acrescenta, citado em comunicado.

A continuidade deste projeto representa o compromisso da multinacional de contribuir para a criação de um mundo onde as mulheres estão capacitadas, não apenas para participar, mas também para liderar num futuro assumidamente digital.

As mulheres devem ser capazes de moldar e liderar a revolução tecnológica, e é por isso que o nosso currículo capacita as jovens mulheres com as ferramentas necessárias para estar na vanguarda da transição digital na Europa”, refere Berta Herrero, senior EU public affairs manager da Huawei, em Bruxelas, e responsável por este programa.

Sejam provenientes de ciências ou de humanidades, as mulheres têm um papel fundamental a desempenhar no setor de tecnologia, até porque ninguém está excluído do desenvolvimento de novas tecnologias – na verdade, garantir que a diversidade de facto existe na indústria é o primeiro passo para construir um mundo verdadeiramente igualitário, inclusivo, livre de preconceitos e discriminação”, conclui a responsável.

A Summer School for Female Leadership in the Digital Age tem como meta fundamental não só reconhecer o potencial do talento feminino no âmbito das tecnologias de informação e comunicação, mas também apoiá-lo de forma proativa, capacitando a nova geração a liderar a revolução tecnológica. Trata-se de um evento que, além de reunir estudantes dos estados-membros da UE para uma experiência formativa nas áreas de tecnologia e liderança, vai contar com a presença de speakers de reconhecido mérito a nível europeu.

As candidaturas para a próxima edição da Summer School for Female Leadership in the Digital Age estão abertas até 31 de maio e há um lugar para uma estudante portuguesa. Para mais informações, pode consultar o site oficial aqui .

O que achou deste artigo?